domingo, 21 de dezembro de 2014

Seltec conquista mercado ao mostrar que ter energia solar em casa é viável


Sediada em Teófilo Otoni e com atuação também em Capelinha, a empresa aumentou, nos últimos três anos, em mais de 40% as vendas de equipamentos em aquecimento solar no Nordeste de Minas
O empresário Jomar Britto, com equipe da Seltec em Teófilo Otoni
O empresário Jomar Britto, com equipe da Seltec em Teófilo Otoni


Em uma das regiões mais quentes do Estado, a empresa mineira Seltec encontrou mercado promissor para a venda de soluções em energia elétrica limpa e renovável gerada pela luz solar. 

Nos últimos três anos, a Seltec Soluções Elétricas e Tecnológicas aumentou em mais de 40% a comercialização de sistemas de aquecimento para a região do Nordeste Mineiro. A empresa sediada em Teófilo Otoni, mas com forte atuação também em Capelinha, é liderada pelo empresário Jomar Britto de Oliveira, formado em Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas, região conhecida como Vale da Eletrônica. 

A Seltec foi criada para oferecer somente projetos elétricos, mas, logo o negócio foi se ampliando, e incluiu também a instalação dos equipamentos e venda de produtos em aquecimento solar da água, uma novidade até então pouco explorada. 

A Seltec trabalha com o sistema de aquecimento solar composto por placas, que são instaladas no telhado do imóvel, de acordo com a demanda, e um reservatório de água, que pode ser comparado a uma garrafa térmica. 

O investimento necessário para obter a tecnologia é a partir de R$ 3.300, o que inclui, além dos equipamentos, a mão de obra para instalação. “Em uma casa, o chuveiro elétrico é responsável por 40% da conta de luz. O aquecimento solar gera economia, além de contribuir com a conservação ambiental”, explica o empresário.

A boa relação com fornecedores já abriu portas para a Seltec em grandes projetos, como o programa Energia Inteligente, da Cemig, que leva soluções para o consumo sustentável de energia elétrica a comunidades rurais, hospitais, asilos e residências. “Os fabricantes dos equipamentos nos chamaram para fazer a instalação. Foram 13 asilos da cidade e região”, conta o empresário.

Junto com o aquecimento solar, os equipamentos de ar-condicionado são o carro-chefe da empresa. No último ano foram comercializadas 242 unidades. Somente em janeiro de 2014, o volume de vendas totalizou 41 unidades, quase o dobro do que foi registrado no mesmo período de 2013. De acordo com Jomar de Oliveira, em Minas Gerais o produto sempre foi visto como artigo de luxo, mesmo com as altas temperaturas em certas localidades, como Teófilo Otoni. Contudo, atualmente, vem se tornando uma solução acessível para a população.

Pioneirismo

Há três anos, a Seltec começou a investir na venda e instalação do sistema de geração de energia elétrica a partir da luz solar, chamado de energia fotovoltáica. Apesar do grande potencial que há no Brasil, devido aos níveis de incidência dos raios solares, a tecnologia ainda é algo novo por aqui. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), existem hoje 83 microgeradores instalados no país. Na Alemanha são 1,5 milhões de instalações.

A maior barreira para o avanço desses números é o custo elevado para aquisição da tecnologia, uma vez que se trata de equipamentos importados. Pela Seltec, um sistema de geração de energia fotovoltaica é orçado a partir de R$ 12 mil, o que inclui o projeto e a instalação. O empreendimento é composto por placas condutoras, feitas de silício e um inversor, responsável por transformar a energia solar em eletricidade e disponibilizá-la na rede da distribuidora, no caso, a Cemig.

De acordo com o empresário, a economia é de 95% na conta de luz, podendo a energia gerada, caso exceda o montante necessário para atender à demanda do usuário, ser acumulada e usada como créditos em qualquer imóvel em seu nome em até 36 meses. Com isso, o retorno do investimento ocorre em cerca de oito anos. Como os contratos com a Cemig estão sendo oficializados, ainda não foram contabilizados resultados concretos para trabalhar a divulgação do produto. “O alto preço da energia no país e o engajamento da população com as questões ambientais poderão contribuir para o crescimento do mercado da energia fotovoltaica”, acrescenta.

Melhorias na gestão

Ao logo dos anos, a empresa amadureceu não só no que diz respeito às vendas, mas, também, nos processos internos. Em 2012, foi feita uma reestruturação para criar departamentos, estabelecer as funções de cada um e definir, de forma mais concreta, a cara da empresa.

Para dar suporte à evolução do empreendimento, o empresário buscou o apoio do Sebrae Minas. Jomar participou do Empretec, metodologia criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) e aplicada no Brasil pelo Sebrae, que desenvolve as características do comportamento empreendedor e na identificação de novas oportunidades de negócios. O empresário e seus colaboradores também participaram dos cursos de técnicas de vendas, gestão financeira, desenvolvimento de habilidades gerenciais e dos programas Líder e Inovar

Fonte: Release produziAssessoria de Imprensa do Sebrae-MG.

sábado, 20 de dezembro de 2014

Menina de 11 anos morre afogada no Rio Itamarandiba


Foto: arquivoMenina de 11 anos morre afogada no Rio Itamarandiba
A criança estava nadando com uma outra irmã no rio Itamarandiba quando se afogou
Uma menina de 11 anos morreu afogada na tarde de sábado (13.12), no rio Itamarandiba, na comunidade de quebra coco, zona rural do município localizado no Vale do Jequitinhonha.
 .
Segundo informações, o pai, a mãe e duas filhas estavam no Rio Itamarandiba para um momentos de lazer.

O pai contou que  as duas crianças estavam dentro do rio, em um local aparentemente raso, mas ao se descuidar,  ele  ouviu gritos de socorro. Ele pulou na água  e  tentou desesperadamente  salvar as filhas que estavam se afogando.

Uma delas foi salva pelo pai, que também começou a se afogar, mas ele não conseguiu salvar a outra.

O corpo da criança, identificada como  Estefani dos Santos Oliveira, foi encontrado no final da tarde do mesmo dia.

O Corpo de Bombeiros da cidade de Diamantina chegou a ser acionado mas quando chegou ao local, o corpo já havia sido encontrado.

Fonte: Itamarandiba Hoje

Diamantina: Ministério Público quer tratamento de esgoto funcionando em 6 meses.

Ministério Público propõe ação com pedido de liminar contra a Copasa e Prefeitura, visando tratamento de esgoto em Diamantina.

O MPMG requer à Justiça que determine a implantação da ETE em 180 dias

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) propôs Ação Civil Pública com pedido de liminar requerendo à Justiça prazo de 180 dias para o município de Diamantina e a Companhia Mineira de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) colocarem em funcionamento o sistema de tratamento do esgoto e interromperem o lançamento de efluentes sem tratamento prévio no solo e nos cursos d’água, sob pena de multa diária de R$ 500,00, a ser revertida ao Fundo Estadual do Ministério Público (Funemp).
Entre outras conseqüências, a falta de esgoto causa proliferação de doenças, contaminação de nascentes, morte de animais e desequilíbrio dos ecossistemas.
O MPMG requer que, ao final, o município e a Copasa sejam condenados à multa diária do mesmo valor caso deixem de cumprir também em 180 dias todas as medidas necessárias para: a obtenção das licenças ambientais; a efetivação do funcionamento do sistema; a destinação adequada aos efluentes sanitários e para a interrupção do lançamento de efluentes sanitários, sem tratamento prévio, no solo e nos cursos d’água.
O coordenador Regional das Promotorias de Meio Ambiente das Bacias dos Rios Jequitinhonha e Mucuri, Felipe Faria de Oliveira, e o promotor de Defesa do Meio Ambiente de Diamantina, Wagner Augusto Moura e Silva, destacam na ação o “pífio percentual da população atendido pela Copasa”. Segundo eles, somente 30% dos moradores têm acesso ao sistema de coleta ou canalização. “Os demais sequer têm este serviço à disposição, correndo o esgoto pelas ruas, a céu aberto”, afirmam.
Buscando uma atuação resolutiva, o MPMG tentou resolver a questão extrajudicialmente, sem qualquer sucesso.

Histórico

Desde meados de 2008, o MPMG vem investigando os problemas ambientais decorrentes da falta de sistema de tratamento de efluentes sanitários, o que vinha gerando danos ambientais e colocando em risco a saúde da população.
A Copasa firmou com o município convênio de cooperação e contrato de concessão dos serviços públicos de abastecimento de água e de esgotamento sanitário e afirmou que a construção da ETE estaria concluída em 2012, juntamente com as obras de ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário.
Em outubro de 2012, a Polícia Militar Ambiental vistoriou a área e relatou fatos graves, inclusive com danos a nascentes e ao Parque Estadual do Biribiri, unidade de conservação de proteção integral, protegida pela Lei 9.985/2000.
Posteriormente, a Copasa afirmou que as obras da ETE estavam na fase final, com a implantação de todas as unidades, mas que restava finalizar a parte eletromecânica, o que permitia uma previsão de operação para março de 2013.
Em setembro de 2013, após constatar que nenhuma providência havia sido adotada, os militares expediram autos de infração ambiental.
A perícia técnica confirmou os dados e emitiu laudo atestando que 100% do esgoto é lançado nos cursos d’agua que cortam a área urbana de Diamantina.
A própria Secretaria Municipal de Saúde se deslocou para determinada localidade após informações acerca da ocorrência de esgoto a céu aberto e reconheceu os riscos para a saúde da população.
Fonte: Ministério Público Federal, via aconteceunovale.

69% dos brasileiros dizem que corrupção na Petrobrás começou antes do PT no governo

VOX POPULI CONFIRMA O QUE A URNA JÁ DISSE: O POVO NÃO É BOBO.

60% dos brasileiros acreditam que Lula e Dilma foram os presidentes que mais combateram a corrupção. 
11% brasileiros acreditam que FHC foi quem mais combateu.



Publicado no www.conversaafiada.com.br, dojornalista Paulo Henrique Amorim.

Marcos Coimbra, em artigo para a Carta Capital, analisa a pesquisa realizada pelo instituto dirigido por ele, Vox Populi, sobre o escândalo da Petrobrás.


A pesquisa revela o estrondoso fracasso da mídia em colar uma estrela do PT na corrupção da estatal.


Após identificar que a grande maioria (86%), sem variação significativa segundo nível de escolaridade, conhece o escândalo da Petrobrás, a pesquisa sondou a quem os entrevistados responsabilizam pelos mal feitos.


Destaco os seguintes trechos:


Quase 70% acha que “as irregularidades na Petrobras vêm de antes do PT (chegar ao governo federal)”.

Sobre quais partidos estariam “envolvidos nas irregularidades”, 7% dos entrevistados responderam “só o PT” e 18% cravaram “o PT e os partidos da base aliada, como PMDB, PP etc”.

Os dois terços restantes disseram que “todos os partidos, incluindo o PSDB, o PSB e o DEM”.

Pois é.


Como dizia aquele refrão batido, tão comum nos anos 70 e 80: o povo não é bobo…


A PETROBRAS E A OPINIÃO PÚBLICA

Marcos Coimbra , na Cartacapital.


Nenhum partido está isento de culpa no escândalo da estatal, aponta pesquisa nacional do Vox Populi

Por Marcos Coimbra, na Carta Capital n˚ 831.

Para quem acompanhou o carnaval da “grande mídia” em torno das pesquisas em 2014, soa estranho o silêncio atual a respeito da crise da Petrobras. Seus veículos trombeteiam o assunto há 3 meses, mas não dedicaram a ele uma única e escassa pesquisa.

Exagero. Houve uma, realizada pelo Datafolha no início de dezembro. Ficou famosa pela extravagante manchete gerada a partir da leitura das informações pela Folha de São Paulo, dona do instituto: “Brasileiro responsabiliza Dilma por caso Petrobras”.

Nenhum outro levantamento foi encomendado. Como se aquele resolvesse a questão e o resultado bastasse. Como se não fosse tão questionável que até a ombudsman do jornal criticaria a despropositada matemática usada pelos editores ao noticiá-la.

Tamanha parcimônia contrasta com o exuberante investimento em pesquisas que a mídia corporativa fez neste ano. Embora tenha sido quase todo bancado pela TV Globo, que financiou as empresas menores, foi uma tal superoferta de pesquisas que, na reta final da eleição presidencial, o cidadão mal conseguia respirar antes de um novo levantamento ser divulgado.

A abundância tinha a ver, é claro, com a torcida para Dilma Rousseff cair nas intenções de voto. Tantas pesquisas refletiam o desejo dos donos de jornal (e seus funcionários) de crescimento de uma das candidaturas a ponto de suplantar a petista. Como sabemos, gastaram dinheiro em vão.

Algo semelhante acontece com as oposições partidárias. Atravessamos o ano a ouvir os líderes oposicionistas citando resultados de pesquisa a torto e a direito: O “desejo de mudança”, a “rejeição ao PT”, a “reprovação do governo”. Seu discurso atual a respeito da crise na Petrobras prescinde, no entanto, de quaisquer referências à opinião pública.

É pena. Todos ganharíamos se ouvíssemos mais e mais frequentemente os cidadãos. Saberíamos o que pensam e compreenderíamos melhor suas manifestações, especialmente as mais importantes, como os resultados eleitorais. Evitaríamos equívocos de interpretação e erros de tomada de posição.

Entre os dias 5 e 8 de dezembro, o Vox Populi fez uma ampla pesquisa nacional, com 2,5 mil entrevistas, distribuídas em 178 municípios. Tratou de vários assuntos e incluiu perguntas sobre a Petrobras.

Ao contrário da tese de alguns próceres tucanos e dos muitos mal informados na sociedade, para os quais a vasta maioria da população ignora o que se passa no Brasil, apenas 13% dos entrevistados não tinham ouvido falar das denúncias de irregularidades na empresa. Em outras palavras, 86% da população as conhecia, sem variações significativas segundo os níveis de escolaridade: 85% entre aqueles com ensino fundamental, 87% no ensino médio e 89% no nível superior.


69% acreditam que irregularidades na Petrobrás começaram antes do PT.

75% acreditam que todos os partidos estão envolvidos; 18% o PT e partidos aliados;e 7% acreditam que só o PT cometeu corrupção.

Entre quem tinha ouvido falar no assunto, 69% acreditavam que “as irregularidades na Petrobras vêm de antes do PT (chegar ao governo federal)”. Dos restantes, 23% disseram achar que “começaram com o PT” e 8% “não sabiam”. Sobre quais partidos estariam “envolvidos nas irregularidades”, 7% dos entrevistados responderam “só o PT” e 18% cravaram “o PT e os partidos da base aliada, como PMDB, PP etc”. Os dois terços restantes disseram que “todos os partidos, incluindo o PSDB, o PSB e o DEM”.

Como se vê, a percepção da grande maioria da opinião pública conflita com o noticiário da mídia hegemônica, que não se cansa de apresentar o PT como o grande vilão no caso. E não poupa as lideranças tucanas, na contramão da imagem de paladinos da moralidade que imaginam possuir.


60% dos brasileiros acreditam que Lula e Dilma foram os presidentes que mais combateram a corrupção. 
11% acreditam que foi FHC.

Aliás, quando a pesquisa pediu a opinião sobre qual dos três últimos presidentes da República “mais combateu a corrupção”, as respostas foram Lula 31%, Dilma 29% e Fernando Henrique Cardoso 11% (os restantes 29% disseram “não saber” ou não responderam). Feitas as contas, 60% escolheram um governante do PT, enquanto FHC nem sequer atinge um quarto do eleitorado que votou no PSDB em outubro.

Por que a mídia prefere não fazer pesquisas sobre o tema? Por que os líderes da oposição se permitem falar ignorando a imagem real que possuem? Hipótese: no fundo, eles não dão o menor valor para o que pensa o cidadão comum.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Prefeito de Capelinha é eleito presidente do CISNORJE.


Cisnorje, consórcio de municípios, responde pelo serviço de atendimento móvel de urgência em praticamente todo o Mucuri e Jequitinhonha
O prefeito de Capelinha, Zezinho da Vitalina, foi eleito presidente do Cisnorje
O prefeito de Capelinha, Zezinho da Vitalina, foi eleito presidente do Cisnorje
O prefeito de Capelinha, Zezinho da Vitalina, foi eleito presidente do Cisnorje (Consórcio Intermunicipal de Saúde de Urgência Macro Nordeste/Jequitinhonha) para o biênio 2013/2014. 

O Cisnorje é a instância responsável pela gestão do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) na região. Ao todo, reúne 86 municípios dos Vales do Mucuri e Jequitinhonha. 

A eleição do novo presidente do Cirnorje aconteceu na tarde desta sexta-feira, 19.12, na sede do órgão, em Teófilo Otoni. 

O atual presidente, Vicente Alves Guedes, prefeito de Itambacuri, agora será o primeiro vice-presidente. Como segundo vice-presidente, ficou o prefeito de Palmópolis, Alcisio Alves. Na atual gestão, Zezinho da Vitalina ocupava o cargo de primeiro vice-presidente.

Antes da assembleia de votação, havia duas chapas em formação, mas as articulações apontando o amplo favoritismo do prefeito de Capelinha levaram a outra chapa a desistir da disputa. 

“Com essa vitória, o prefeito Zezinho da Vitalina e os demais integrantes da nova diretoria se estabelecem como grandes lideranças no sistema de saúde de urgência na região”, comentou o minasnovense Zé Pedro Cordeiro, suplente de deputado estadual e um dos articuladores envolvidos na composição da chapa vitoriosa. 

A movimentação contou ainda com o empenho de prefeitos de todas as regiões do Cisnorje, como o próprio Vicente Alves Guedes, de Itambacuri, além do prefeito de Pavão, Carlão; de Virgem da Lapa, Warley Lopes de Oliveira; e de Araçuaí, Dr. Armando.

O novo Conselho Diretor terá como 1º, 2º e 3º secretários, respectivamente, os prefeitos Warley Lopes de Oliveira (Virgem da Lapa), Gilson Ferreira (Novo Cruzeiro) e Marcelo Olegário (Divisa Alegre). Já o Conselho Fiscal Titular terá os prefeitos Arlerte dos Santos (Aricanduva), Gilmar Teixeira (Itaipé) e Robson Machado (Medina). No Conselho Fiscal Suplente, estão Rômulo Ronaldo (Presidente kubitschek), Ramon de Ferraz (Nanuque) e Evandro de Aguilar (Rubim).

O SAMU é responsável pela regulação dos atendimentos de urgência, pelo pré-hospitalar do sistema de urgência e pelas transferências de pacientes graves. O atendimento nas 22 cidades que integram o Cisnorje é feito por 26 ambulâncias, sendo 21 Unidades de Suporte Básico (USB) e cinco Unidades de Suporte Avançado (USA), também denominadas Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

Todo o atendimento é feito por meio do telefone 192, concentrado na Central localizada em Teófilo Otoni. Através da ligação para o telefone 192, um médico avalia preliminarmente a situação do paciente e determina qual ambulância deve ser acionada. Em Capelinha, existe uma USB, tripulada por técnicos de enfermagem e condutor socorrista, orientados pelo médico na central de regulação.
Fonte: Por Regiane Marques Sampaio - Portal de Capelinha/Jornal Acontece Regional

Valor de conta de água revolta moradores em Araçuai

Eles reclamam da má qualidade do serviço prestado e a Copasa afirma que nada pode fazer para diminuir preço das tarifas.

Foto: Gazeta de AraçuaiValor de conta de água revolta moradores em Araçuai
Donas de casa exibem contas de água com tarifa de esgoto, ao lado de esgoto que rompeu e provocou lodaçal na rua do bairro.
Moradores do conjunto habitacional “Morada Feliz”, em Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, (MG) estão revoltados com o alto valor da conta de água no município.

 Em algumas casas, a conta está vindo com o dobro do valor do mês anterior. O motivo, segundo os moradores, é a cobrança da tarifa de esgoto.


Na casa de Carla Maria de Sousa, a conta do mês de novembro foi R$ 26,49 e a taxa  referente ao tratamento de esgoto, R$12,50. No mês seguinte, a  conta saltou para  R$91,81, sendo R$ 43,20 da taxa de esgoto.

No conjunto moram 40 famílias que receberam a chave das casas, financiadas pelo Programa Minha Casa Minha Vida, no último dia 7 de novembro.


“ Já recebemos as chaves com duas contas de água e luz vencidas. Ficamos revoltados, porque não fizemos uso do imóvel e não tivemos culpa no atraso da entrega das casas. Estamos aqui há pouco mais de um mês, e agora recebemos este presente de Natal, que são estas contas da Copasa com preços nas alturas”, lamentou revoltada, a aposentada Maria José Silva Santos, de 65 anos.

No mês anterior ela pagou R$ 12 e agora em dezembro, a conta subiu para R$ 46,87.

“ É muito caro pra gente. E o que mais revolta é o péssimo serviço prestado pela Copasa. O esgoto aqui é da pior qualidade. Está tudo estourado e provocando mau cheiro e muita lama na rua”, diz Enivânia Costa Braga que vai pagar R$72,80. Em novembro, ela desembolsou R$34.

.
Indignadas com a situação, as donas de casa estão se organizando para acionar a Copasa na Justiça, pedindo a revisão dos valores

. "Não tem tratamento de esgoto e até agora a gente não viu nenhum benefício para o bairro. O mau cheiro é insuportável. Temos de manter a porta do banheiro sempre fechada porque o mau cheiro sai pelo ralo e incomoda toda a casa”, contam os moradores.


O que diz a Copasa

A reclamação sobre o preço do serviço de água e esgoto prestados pela Copasa tem motivado revolta e indignação em toda a região.

O gerente do escritório da empresa em Araçuaí, José Eugênio Ferreira de Matos, explicou que  as tarifas dos serviços públicos de abastecimento de água e de esgotamento sanitário prestados pela Copasa são regulamentadas e estipuladas pela ARSAE-MG Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água de Minas Gerais.

Segundo ele, as tarifas são cobradas mediante o consumo de água de cada contribuinte.

Com relação aos problemas apresentados na rede de esgoto do conjunto Morada Feliz ele afirmou que técnicos da empresa já foram enviados ao local para fazer os reparos.

Fonte: Gazeta de Araçuaí.


Criança brinca em poça de esgoto que estourou em rua do Conjunto Morada Feliz
Criança brinca em poça de esgoto que estourou em rua do Conjunto Morada Feliz

PATRUS ANANIAS DEVE ASSUMIR DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO